Karl Lagerfeld: Conselheiro Familiar

Depois dos 8438979528 filminhos adolescentes, do desenho animado e das bonecas com a cara delas, as Olsen twins resolveram investir em um novo ramo: o literário.


Influence é um livro de entrevistas que as próprias Olsen fizeram com os fotógrafos, estilistas, artistas e trendsetters mais importantes do mundo. Gente tipo John Galliano e Christian Louboutin, sabe?
Tô louca que esse dólar maldito baixe pra mim poder encomendar o meu pela Amazon, porque, né, eu ainda sou só uma pobre blogueira.
Enquanto isso não acontece, eu achei e resolvi traduzir os trechos da entrevista do Karl Lagerfeld pro livro, que o The Cut publicou, com os comentários ótimos da Amy Odell. Sinceramente, Karl me lembrou muito do Alvo Dumbledore, com seus comentários aleatórios. E é legal ver que até mesmo os grandes estilistas dormem na direção HAHAHAHA

Tradução under the cut 😉

Onde nós vemos cupcakes, Karl vê plástico.

Ashley Olsen: O que você faz agora para ficar em forma?
Karl Lagerfeld: Nada… Eu tenho um médico com quem eu fiz um livro que vendeu cinco milhões de cópias no mundo todo. Todo país comprou um, eu acho, na Russia e Itália e em todo o lugar. Mas eu não entendo – eu não sei que o que o Japão vai fazer com um livro de dieta europeu….
Desde que eu comecei a minha dieta, o que foi mais ou menos oito anos atrás, eu não toquei em nada que eu não deveria: açúcar, queijo, nada! Eu nem sequer olho para isso. Para mim, parece plástico.

Ele odeia modelos altas e tagarelas.

KL: Hoje em dia você começa a modelar porque você é jovem. Agora as garotas tem dezesseis, dezessete, quinze anos e são russas. Parece que elas são de outro planeta.
AO: Elas podem parecer tão bizarras!
KL: Eu odeio todas essas mulheres altas. Elas são todas gigantes!
Mary-Kate Olsen: Se apenas eu pudesse ser um pouquinho mais alta… isso me faria feliz!
KL: Vocês têm um metro e cinqüenta e um. Vocês são mais altas do que isso?
AO: Nós temos um metro e cinqüenta e quatro.
KL: Oh, pensei que o meu escritório tivesse me dito que vocês tinham um metro e quarenta e dois ou algo assim. Não que isso importe. O que você precisa é de um rosto., Se você tem um rosto, não precisa de altura ou de uma voz. As modelos sabem disso; é por isso que as boas não precisam falar muito.

E ele odeia falar com modelos homens.

KL: Eu gosto de trabalhar com modelos por um bom tempo. Algumas vezes as garotas mudam, mas com algumas eu trabalho por anos e anos. Com modelos homens é diferente. Eu odeio trabalhar com modelos homens.
AO: Ah, bem, rapazes vêm e vão.
KL: E eu odeio fazer castings e coisas assim. “Oh não, você não é o que procuramos” – isso é horrível de se dizer para alguém. Eu nunca faço castings. Outras pessoas fazem, e então eu vejo o resultado. É humilhante para as modelos.

E ele também não gosta de ouvir a opinião de um homem.

KL: Eu nunca tenho pessoas que eu não gosto ao meu redor.
MKO: Você não tem que ter.
KL: … Eu não trabalho com muitos homens. Eu não quero perguntar aos homens sobre a moda. A opnião deles não me interessa.

Ele dá às garotas conselhos sobre planejamento familiar!

KL: Eu gosto mais de formas clássicas agora. A melhor coisa para pessoas magras é usar vestidos justos. Embora os jeans estejam ficando justos demais.
AO: Ah! Sim, está se tornando um problema. É o pior.
KL: Você pode se matar com um desses jeans.
MKO: Ha, eu prefiro ficar em casa com os meus amigos que sair mancando em calças justas.
KL: Talvez você fique em casa com um bebê. Vocês querem se casar? Crianças? Duas mães perfeitas, sim?
[Mary-Kate e Ashley se entreolham]
KL: Ah! Não se preocupem, vocês têm tempo. Vocês são jovens. Vocês não querem se casar?
MKO: Eu não sinto a necessidade de me casar. Mas Ashley quer filhos. Eu serei uma ótima tia ou madrinha.
AO: Dos meus filhos.
KL: [para Ashley] Você está planejando?
AO: Não. Eu nem tenho um namorado. Você tem que planejar isso primeiro, certo? Arranjar um namorado primeiro?
KL: Se você tem um namorado não quer dizer isso! Hoje você pode ter um bebê primeiro. Se você quiser. Eu nunca gostei da idéia de família. Se é uma mulher – é mais divertido para ela.

Karl explica porque ele é o rosto da campanha de segurança nas estradas na França.

MKO: Pode ser perigoso quando você está dirigindo em L.A. particularmente, porque eles seguem você em carros e scooters. Isso é mal. Não é fácil.
KL: Eu tive dois acidentes em que eu adormeci. Depois disso, eu pensei que seria melhor se eu não dirigir. Eu arranjo um motorista. Eu sou um mal motorista porque eu quero ficar olhando para tudo. Eu me entedio facilmente – então duas vezes eu adormeci e o carro foi destruído… Eu não me machuquei – mas os dois carros foram destruídos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s